Até que a ZTE mandou bem no ZTE Axon 9 Pro. Bom, pelo menos no seu objetivo principal de ser um smartphone top de linha menos caro que os demais.

Não dá para dizer que ele é um dispositivo barato. Se bem que o meu critério de julgamento é subjetivo, pois estou comparando o preço desse e de outros produtos com o do Xiaomi Pocophone F1, o que considero uma comparação injusta pelo simples fato da Xiaomi “apelar” no preço do seu novo top de linha.

Mesmo assim.

O ZTE Axon 9 Pro é um smartphone top de linha, de toda regra. Conta com o processador Qualcomm Snapdragon 845, o chip mais potente de 2018 e requisito básico para entrar na categoria dos mais completos.

Além disso, esse modelo vai um passo além do Sony Xperia XZ3 que comentei ontem, colocando 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento, combinação mais generosa e com maior potencial de oferecer uma experiência de uso mais equilibrada a longo prazo, o que resulta em uma melhor relação custo-benefício.

A sua bateria também manda bem, com 4.000 mAh com modo de recarga rápida Quick Charge 4+. Também inclui o modo de recarga rápida Qi. E tem muito smartphone top de linha de grandes fabricantes que deixam esse cuidado de lado. Ou entendem que essa combinação não é importante.

 

 

Talvez você até possa desabonar o ZTE Axon 9 Pro por causa do seu ar pseudo simplificado, pelo notch na tela e outros fatores que são muito mais subjetivos de cada um do que objetivos para aspectos gerais.

Porém, entendo que este é o primeiro smartphone da ZTE que realmente chama a atenção do grande público por conta do conjunto técnico mais completo. Ao menos temos mais uma alternativa no grupo de dispositivos top de linha.

O fator preço poderia ser melhor? Sim, claro. Mas ele está aí para competir. E em tempos onde sentimos claramente o ponto de saturação nas vendas, ter a liberdade de escolha é fundamental.

Para os consumidores e para o mercado.