ps4-vita

Cá pra nós: o PS Vita nunca foi um sucesso de vendas. Longe disso: custou muito tempo e dinheiro da Sony para ele se posicionar da forma como os japoneses desejavam no mercado. Mas essa tendência pode estar mudando lentamente, e com a ajuda do PlayStation 4.

A vida sempre foi cruel com o PS Vita. Tinha tudo para ser um sucesso de vendas, já que conta com uma ótima tabela de especificações técnicas, deixando a concorrência comendo poeira. Porém, para azar da Sony, o constante crescimento de smartphones e tablets ofuscou o mercado dos consoles tradicionais e dos videogames portáteis. Para “ajudar”, o seu principal concorrente (Nintendo 3DS) teve uma forte queda de preço, o que fez com que o PS Vita fosse direto para o limbo, sem perspectivas de recuperação.

Mas dias melhores virão. Bom, é o que parece. As vendas do PS Vita começam a crescer, anos depois do seu lançamento. E o principal responsável disso é o PlayStation 4.

PlayStation 4: a Sony chama o mercado de “seu”

A estratégia conservadora seguida pela Sony em detrimento da Microsoft valeu mais para que ela se posicionasse diante dos adversários de forma consistente. Mesmo com vendas ridículas no Brasil, o PS4 vende muito bem lá fora, e com dois dias a menos, alcançou a marca de 2 milhões de unidades vendidas (15 dias no total).

E apesar desse movimento parecer que, no final das contas, “o que queremos é vender consoles”, há um fundo mais edificante por trás disso tudo: a criação de uma clientela fiel, com fãs incondicionais da marca. E essas duas características são muito mais marcantes no mercado de videogames do que em qualquer outro mercado de tecnologia.

Deste modo, o aumento de mais de 60% das vendas do PS Vita mostra que a Sony está conquistando (ou reconquistando) o coração de seus clientes, além de ser um sinal claro que novos clientes estão chegando, e dispostos a gastar um pouco mais de dinheiro nos produtos da empresa.

Somando o fracasso da Nintendo com o Wii U, e a ligeira vantagem das vendas do PlayStation 4 sobre o Xbox One (algo que muitos garantem que pode ser maior quando  o console for lançado em outros mercados considerados estratégicos), temos aqui outros fatores que ajudam a explicar esse movimento positivo do PS Vita (com o PS4).

E a estratégia da Sony está dando resultado

bundle-playstation-4-ps-vita

Desde o começo, a estratégia da Sony com o PlayStation 4 estava orientada para impulsionar as vendas do PS Vita. E esse aumento registrado nos últimos meses não é uma mera casualidade. Para começar, os japoneses trataram de combinar os produtos, de modo que algumas vantagens estivessem atreladas ao fato do usuário ter os dois produtos.

Uma prova disso? A oferta de compatibilidade sem fio para o PS Vita em todos os jogos do PlayStation 4, onde os dois produtos poderiam emular sem problemas os títulos.

Por outro lado, a Sony focou a sua publicidade para mostrar a simbiose dos dois produtos. Isso foi visto em packs que juntavam os dois consoles (apesar de custar o mesmo que quando comprados separadamente), até agressivas campanhas que mostram os produtos sendo usados em conjunto.

Para a Sony, apenas por promover o aumento das vendas do PS Vita, o PlayStation 4 já estaria amortizando bem o dinheiro que a empresa perde por cada unidade vendida, pela relação custo de produção/valor final do produto. Ao mesmo tempo, eles garantem lucros em duas frentes na venda dos jogos, o que é uma estratégia muito ajustada para os objetivos que eles estabeleceram.

No final das contas, é bom saber que o PS Vita está se recuperando, mesmo que seja com a ajuda do PS4. As implicações futuras dessa decisão podem ser muito positivas, principalmente quando pensamos no PS Vita TV.